Presidente participa de debate de conjuntura na CNBB

Tamanho da Letra

Cofecon CNBBO presidente do Conselho Federal de Economia, Júlio Miragaya, participou nesta terça-feira (21) de um debate sobre conjuntura econômica durante o encontro do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O convite foi feito pelo secretário geral da entidade, Dom Leonardo Steiner. O evento reuniu a presidência da CNBB, os presidentes dos 18 regionais, os presidentes das Comissões Episcopais de pastoral, os representantes de bispos e assessores. O Cofecon também se fez presente com o coordenador da Comissão de Política Econômica, conselheiro Róridan Duarte. Mais de 70 pessoas prestigiaram o evento, que encheu o auditório. A palestra de Miragaya respondeu pela prática do Conselho Permanente da CNBB que, em suas reuniões ordinárias, sempre dedica espaço para a análise da conjuntura brasileira.

Em sua fala, Miragaya falou sobre o contexto da crise econômica vivida pelo Brasil, discorreu sobre alguns mitos e reais razões da crise e falou das soluções apontadas pelo mercado financeiro, diferenciando-as daquelas defendidas pelo Cofecon. Por último, fez algumas previsões para 2017 – algumas delas não muito otimistas.

CP-março2017-Cofecon-4

Após a palestra, o presidente do Cofecon respondeu a vários questionamentos dos presentes, com assuntos abrangentes que foram desde as consequências específicas de determinadas medidas propostas pelo governo até as perspectivas de futuro para a juventude brasileira, passando pelas ações do Conselho Federal de Economia no sentido de esclarecer a população sobre o debate econômico realmente necessário para o país e que muitas vezes não é feito na grande imprensa. Em relação a este último questionamento, Miragaya falou sobre as notas do Conselho – e levou vários exemplares de algumas delas para distribuir entre os participantes da reunião – e destacou a Campanha Nacional pela Redução da Desigualdade Social, que terá seu lançamento nacional em breve.

Miragaya falou sobre a oportunidade de participar da discussão de conjuntura com o Conselho Permanente da CNBB. “É um grupo que está acompanhando a economia, que está atento para as consequências das medidas que estão sendo propostas pelo governo. A entidade tem um peso muito grande e as perguntas feitas mostram que eles estão preocupados com a sociedade”, elogiou o presidente do Cofecon.


 (*) Jornalista do Cofecon

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Escrito por Manoel Castanho (*)