Serviços e varejo fecham o ano com contração de 5,0% e 6,2%

Tamanho da Letra

calculadora comjolSegundo Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada pelo IBGE nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, o volume do setor de serviços apresentou, no mês de dezembro, crescimento de 0,6% frente a novembro, na série com ajuste sazonal, após ter registrado alta de 0,2% em novembro e recuo de 2,3% em outubro. No confronto com igual mês do ano anterior, o setor registrou queda de 5,7%, a maior para o mês de dezembro nessa comparação desde o início da série em 2012. A taxa acumulada no ano de 2016 ficou em -5,0%. A receita nominal registrou variação de 0,5%, em dezembro frente a novembro, na série com ajuste sazonal, e na comparação com o mesmo mês do ano anterior, houve queda de 1,5%. A taxa acumulada da receita no ano de 2016 ficou em -0,1%. A publicação completa da PMS pode ser acessada AQUI.


No que concerne aos resultados por atividade, na série livre de influências sazonais, os segmentos de Serviços prestados às famílias apresentaram crescimento de 2,0%, bem como Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, com 0,4%. Apresentaram recuos os segmentos de Serviços de informação e comunicação (-1,7%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,3%) e Outros Serviços (-1,2). O agregado especial das Atividades turísticas apresentou crescimento de 3,1%, na comparação com o mês imediatamente anterior.


Em termos de composição da taxa global de volume, sem ajuste sazonal, as contribuições dos segmentos foram as seguintes: Serviços de informação e comunicação, com -2,6 pp; Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, com -2,1 pp; Serviços profissionais, administrativos e complementares, com -0,9 pp; Serviços prestados às famílias, com -0,1 pp e Outros serviços, com 0,0 pp.


Na última terça-feira, 14 de fevereiro, a Pesquisa Mensal de Comércio, também do IBGE, mostrou que o volume de vendas do Comércio Varejista nacional recuou, em dezembro de 2016, 2,1% na comparação com o mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, após avanço de 1,0% em novembro. Nesse mesmo confronto, a variação da receita nominal foi de -2,1%. O indicador de média móvel sai da relativa estabilidade registrada no trimestre encerrado em novembro (-0,1%) e volta a registrar taxa negativa em dezembro (-0,5%). Mesmo movimento foi observado para a variação da receita nominal (de -0,2% para -0,7%). Na série sem ajuste sazonal, o total das vendas assinalou queda de 4,9% em relação a dezembro de 2015, vigésima primeira taxa negativa consecutiva nesse tipo de comparação. Com isso, os resultados para o volume de vendas foram negativos tanto no quarto trimestre de 2016 (-5,5%), como para o fechamento do ano (-6,2%). A receita nominal, para essas mesmas comparações, manteve-se positiva, com variações de 2,0% frente a dezembro de 2015 e 4,5% para o acumulado no ano.


No Comércio Varejista Ampliado, que agrega também as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, a variação sobre novembro de 2016 ficou praticamente estável, para volume de vendas (-0,1%) e para a receita nominal (-0,3%). No confronto com 2015, o volume de vendas apresentou resultados negativos em relação a dezembro (-6,7%) e para o acumulado do ano (-8,7%). A receita nominal também apresentou decréscimo sobre dezembro de 2015 (-1,2%) e no acumulando janeiro-dezembro (-0,7%). Acesse a publicação completa AQUI.

 



Fonte: IBGE